Thunder's Place

The big penis and mens' sexual health source, increasing penis size around the world.

meus cálculos certamente estão certos

meus cálculos certamente estão certos

O meu glamour não é o pénis.mas antes a mente.O brilho do homem está na mente,em conseguir traduzir matemáticamente os fenómenos que ocorrem no nosso meio,tentando separar o trigo do joio.bem perdi muitas noites apenas tentando analisar o rendimento da tração de configuração com a tração permanente por estímulo (F,-F).resultante nula,logo foi a bioestática que me interessou.as articulações não são mais articulações,mas antes alavancas que podem ser de vários tipos.Assim ,o facto de os extensores terem baixa popularidade relativamente a outros tipos de PE.Isso levou-me de imediato a ver a tração de configuração como a responsável pelo baixo rendimento.Inferior e bem ao aclamado(Wiski assim me confirmou,pois quase no fim do tratamento estava a menos de um terço do ganho pré-anúnciado.Mas o erro está na baixa eficácia estímuladora dessa tração.Exactamente,não há estímulo verdadeiro de tração.há tração mas por configuração,pois o pénis é mantido esticado,realizando essa força um trabalho oposto ao realizado pelas fibras de colagénio do pénis.por ser elástico e estar flácido o pénis (as fibras de cologeneo)tendem a voltar á posição inicial.A configuração é essa força que a impede.temos a situação estática F-KdL=0,sendo dL o acréscimo do pénis e K=nk as n fibras de colagéneo do pénis com coeficiente elástico k.Na tração por estímulo duplo(F,-F) conseguida com uma mola grande estando assim contraida permanentemente temos a situação estática F+gdL-KdL=0,em que F a parte da força estimuladora que leva o pénis ao tamanho flácido de máximo comprimento,g a constante de elastecidade da mola que mantem o sentido de F.Ou seja,gdL também contribui para o esticamento máximo do pénis,mas poderia existir situações de mola má colocada em que teriamos -gdL pela mola(Mola curta estando esticada durante a tração).Obviamente que nessa configuração a mola atuava contra.

Temos assim um tralho extra realizado por gdL nesta tração por moLA.

Existe mais um termo,logo uma contribuição extra deste termo.Logo tem de ter muito mais eficácia.Está provado

Isto é matemática pura e elementar.não há segredo nem intuição.Resulta directamente duma análise matemática da situação física do problema.Apenas tentei procurar a fonte do baixo rendimento.Porque os fabricantes anunciam ganhos enquadrados pelos ganhos normais dos estudos já realizados com tração de tecidos pela fisiologia(ramo da medicina).Seja na tração mamária,seja na tração da epiderme para enxertos,seja na tração ossea moderna iniciada por iliriazov(1989),seja na tração da membrana do invetebrado polvo(objecto de estudo do meu mestrado de 2016/17) é essa a taxa de acréscimo relativo em volume,conseguida em 6 meses(pode ir no máximo até 30% do volume inicial).Mas esses valores aclamados nunca eram relatados por usuários imparciais.Apenas na pág do fabricante li relates dessa ordem de grandeza em acréscimo.Na realidade era tudo muito aquém.

seria o conforto?que impedia a tração continuada permanente?sinceramente também é um factor.Essa história de dias de descansos em tração continuada,nunca aprendi na faculdade nos outros tecidos(pois não estudei o pénis infelizmente).Mas para os outros tecidos não se sugere paragens.O ideal é permanente.Reparem já desde os anos 70 que sabemos que os implantes de prótese péniana de tamanho igual ao pénis,em 6 meses a protese perdia muita qualidade tornando-se sol,ta porque o pénis crescia 2 ou 3 cm devido á tração permanente da protese no interior do pénis.era sugerido protese pequena para reduzir esse efeito.Sempre sucedeu esse fenómeno.

Mas certamente existia outro vilão.Surge directamente do tratamento das equações da estática que os extensores á venda apenas têm a contribuição do termo F que nem sequer é estímulo,com o novo extensor F não só é estímulo como a reação -F também é estímulo(não é resposta físiológica,mas antes estímulo de reação ao estímulo F).Como se não basta-se,de bónus surge o termo importântíssimo +gdL proveniente da acção da mola se querer abrir,pois está encurtada.Este termo +gdL é responsável pela aceleração da mitose,pois aumenta o esforço permanente sobre as células.Ainda por cima esta tração é muito,muito muito mais confortável que a tração de configuração(o zumbido ou tínitus é muito muito muito mais perturbador que o ruido branco usado como terapia de mascara-lo ,por ser de fonte externa,enquanto o tínitus é de fonte interna é muito perturbante.aqui é igual.A traçlão de configuração apenas assegura o pénis na configuração mais esticada possível,perdendo essa tração quando mudamos de posição,assentamo-nos,etc.Com a mola é diferente,nem se sente perda de tração quando se senta ou levanta.Contra factos NÃO HÁ ARGUMENTOS.obrigada

factos são factos

Isto é matemática pura e elementar.não há segredo nem intuição.Resulta directamente duma análise matemática da situação física do problema.Apenas tentei procurar a fonte do baixo rendimento.Porque os fabricantes anunciam ganhos enquadrados pelos ganhos normais dos estudos já realizados com tração de tecidos pela fisiologia(ramo da medicina).Seja na tração mamária,seja na tração da epiderme para enxertos,seja na tração ossea moderna iniciada por iliriazov(1989),seja na tração da membrana do invetebrado polvo(objecto de estudo do meu mestrado de 2016/17) é essa a taxa de acréscimo relativo em volume,conseguida em 6 meses(pode ir no máximo até 30% do volume inicial).Mas esses valores aclamados nunca eram relatados por usuários imparciais.Apenas na pág do fabricante li relates dessa ordem de grandeza em acréscimo.Na realidade era tudo muito aquém.

seria o conforto?que impedia a tração continuada permanente?sinceramente também é um factor.Essa história de dias de descansos em tração continuada,nunca aprendi na faculdade nos outros tecidos(pois não estudei o pénis infelizmente).Mas para os outros tecidos não se sugere paragens.O ideal é permanente.Reparem já desde os anos 70 que sabemos que os implantes de prótese péniana de tamanho igual ao pénis,em 6 meses a protese perdia muita qualidade tornando-se sol,ta porque o pénis crescia 2 ou 3 cm devido á tração permanente da protese no interior do pénis.era sugerido protese pequena para reduzir esse efeito.Sempre sucedeu esse fenómeno.

Mas certamente existia outro vilão.Surge directamente do tratamento das equações da estática que os extensores á venda apenas têm a contribuição do termo F que nem sequer é estímulo,com o novo extensor F não só é estímulo como a reação -F também é estímulo(não é resposta físiológica,mas antes estímulo de reação ao estímulo F).Como se não basta-se,de bónus surge o termo importântíssimo +gdL proveniente da acção da mola se querer abrir,pois está encurtada.Este termo +gdL é responsável pela aceleração da mitose,pois aumenta o esforço permanente sobre as células.Ainda por cima esta tração é muito,muito muito mais confortável que a tração de configuração(o zumbido ou tínitus é muito muito muito mais perturbador que o ruido branco usado como terapia de mascara-lo ,por ser de fonte externa,enquanto o tínitus é de fonte interna é muito perturbante.aqui é igual.A traçlão de configuração apenas assegura o pénis na configuração mais esticada possível,perdendo essa tração quando mudamos de posição,assentamo-nos,etc.Com a mola é diferente,nem se sente perda de tração quando se senta ou levanta.Contra factos NÃO HÁ ARGUMENTOS.obrigada

Boa noite Eduardo!

Infelizmente meu nível de conhecimento está bem abaixo do seu, uma parte do q você falou e não entendi mas mesmo assim apoio sua pesquisa e esforços, acredito q você está prestes a realizar um brilhante estudo!

Abraços.


Start 30/06/2016 - BPEL 13cm MSEG 11,50cm

Now - BPEL 16,20cm MSEG 12,00cm BPFSL 18,00cm BPELIT 18,00cm Clamped BPEL 17,50cm

DREAM! 19cm BPEL 17cm NBPEL 14cm MSEG

está a subestimar-se.são coisas óbvias.matemática elementar,logo não vejo nada notável em algo tão evidente.Não entendo o motivo de terem raciocinado ao contrário desde o ínicio da era dos extensores.Até parece que não quizeram lançar logo algo mais eficiente para poderem faze-lo mais tarde.Se uma porta está apenas encostada com o trinco,porque haveria-mos de arrombar a porta quando entra-mos?è mais fácil rodar o trinco e abrir a porta simplesmente.

coloquem uma mola a tracionar o pénis permanente(o tempo dos extensores).a mola a querer abrir mas limitada pela expansão máxima do pénis.Daqui por 8 meses(que sejam 6 mesmo) postem os resultados e quem não tiver um alto rendimento então pode com toda a legitimidade insultar o meu ego.pode dizer que o meu mestrado de física-médica com tese assente nas trações não serve para nada.que os professores certamente estariam embriagados quando me classificaram com média de 18.estavam todos bebados,pois afinal andaram-me a ensinar coisas erradas.que na prática funcionam ao contrário.Para que queimei eu então as pestanas?Porque ficou o meu pobre polvo com uma perna vísivelmente maior que as outras?Seria o polvo alajado?A sua perna cresceu e bem.e nem 8 meses foi.O pénis é diferente?sim.mas ia eu implantar um sistema análogo num pénis humano?poderia,mas seria uma chacota levar o dito candidato para a aula de juri da tese.deixava de ser um trabalho ciêntífico e seria um carnaval.Eu era o bobo da corte.Meus amigos.a perna do polvo é um tecido mole,a fibra elástica predominante é a elastina seguida do colagéneo.o pénis é exactamente as mesmas fibras,elastina nos tendôes suspensores e colagéneo no membro.Meus senhores,cada pénis é um mundo dizeis vós?já ouvi essa assertiva.Vale o que vale.Na estímulação por tração essa afirmação não tem muito fundamento.Para mim,especialista em trações de tecidos in vivo(também há vertente só tecido,um tecido amputado por exemplo,submetido a esforços,perde muita caracteristica de tecido vivo,passa a ser quase uma coisa)um pénis é elastina e colagéneo,e o seu comportamento segue o comportamento característico desses dois tecidos elásticos.A elastina é um elástico puro F=função(deformação) é linear mas o colagéneo já é um pseudo elástico pois essa linearidade(funçao F=função(deformação) tem uma recta por gráfico) já só existe num intervalo de forças,a partir de dado momento a resposta já não é linear.

Se em 8 meses não crescerem 30%do volume inicial chamem-me de aldrabão,de fálsário,de político que não cumpre o prometido

Bia Noite!!! Fiquei Muito Curioso!

Originally Posted by Eduardo Madeira
coloquem uma mola a tracionar o pénis permanente(o tempo dos extensores).a mola a querer abrir mas limitada pela expansão máxima do pénis.Daqui por 8 meses(que sejam 6 mesmo) postem os resultados e quem não tiver um alto rendimento então pode com toda a legitimidade insultar o meu ego.pode dizer que o meu mestrado de física-médica com tese assente nas trações não serve para nada.que os professores certamente estariam embriagados quando me classificaram com média de 18.estavam todos bebados,pois afinal andaram-me a ensinar coisas erradas.que na prática funcionam ao contrário.Para que queimei eu então as pestanas?Porque ficou o meu pobre polvo com uma perna vísivelmente maior que as outras?Seria o polvo alajado?A sua perna cresceu e bem.e nem 8 meses foi.O pénis é diferente?sim.mas ia eu implantar um sistema análogo num pénis humano?poderia,mas seria uma chacota levar o dito candidato para a aula de juri da tese.deixava de ser um trabalho ciêntífico e seria um carnaval.Eu era o bobo da corte.Meus amigos.a perna do polvo é um tecido mole,a fibra elástica predominante é a elastina seguida do colagéneo.o pénis é exactamente as mesmas fibras,elastina nos tendôes suspensores e colagéneo no membro.Meus senhores,cada pénis é um mundo dizeis vós?já ouvi essa assertiva.Vale o que vale.Na estímulação por tração essa afirmação não tem muito fundamento.Para mim,especialista em trações de tecidos in vivo(também há vertente só tecido,um tecido amputado por exemplo,submetido a esforços,perde muita caracteristica de tecido vivo,passa a ser quase uma coisa)um pénis é elastina e colagéneo,e o seu comportamento segue o comportamento característico desses dois tecidos elásticos.A elastina é um elástico puro F=função(deformação) é linear mas o colagéneo já é um pseudo elástico pois essa linearidade(funçao F=função(deformação) tem uma recta por gráfico) já só existe num intervalo de forças,a partir de dado momento a resposta já não é linear.
Se em 8 meses não crescerem 30%do volume inicial chamem-me de aldrabão,de fálsário,de político que não cumpre o prometido

Como seria essa mola? E como ela ficaria presa no pênis? Acho que eu não entendi muito bem.

Teria como você postar uma foto de como essa mola ficaria fazendo a tração no pênis?

Como seria esse extensor com molas. Não consigo imaginar, alguém conseguiu fazer o extensor do Dr Eduardo Madeira?

Eu também estaria interessado em ver.

Enviei mensagem ao Dr. Eduardo Madeira, mas o mesmo está há um ano sem interagir no fórum. Não sei por onde andas e se obteve mais alguma descoberta nesse ‘Mundo dos extensores’. O que posso dizer é que todas as teorias dele parecem plausíveis, sobretudo com embasamento científico para prová-las.

Pelo que compreendi à respeito do extensor almejado e ilustrado com base nos seus estudos é:

- um extensor com base de plástico em forma de anel como os convencionais, na região em contato com o púbis.
- uma mola cilíndrica de comprimento extra, ou seja, maior que o pênis tracionado, conectada à outra extremidade que poderia ser um dispositivo de sucção a vácuo ou de outro tipo. Com essa configuração a mola tentaria abrir, mas ficaria contraída devido ao limite imposto pelo tamanho do pênis tracionado. Dessa forma, a mola trabalharia aplicando uma força sob essa resistência. Sinceramente, parece genial.

É uma pena não saber que rumo isso tenha tomado, acredito que todo conhecimento seja válido, ainda mais no faloculturismo onde há pouco estudo, parece um universo onde ninguém quer habitar. A minha expectativa era que o Dr. Eduardo Madeira pudesse ajudar nessa configuração para nós fazer essa experiência conduzida por ele. Caso alguém tenha feito essa experiência, favor compartilhar conosco.

Obrigado!

Mas não existe nenhum tipo de extensor semelhante no mercado?

Amigo, eu pesquisei e não encontrei nada. Teríamos que criar esse sistema descrito pelo Dr. Eduardo.. O problema é que não encontrei nenhum rascunho do projeto dele, se não eu tentaria fazer algo semelhante. Pelo o que ele diz não seria complexo criá-lo, mas me surgiram algumas dúvidas de como a mola ficaria sustentada ao sistema à vácuo e à base, acredito que a base não precisa ser necessariamente de plástico, somente algo que adere à superfície do púbis e dê sustentação à mola, sem causar desconforto.

Top

All times are GMT. The time now is 06:31 AM.